MAGIA, "QUIMBANDA" E "KIMBANDA"

Magia Tradicional ou Universal, também conhecida como Magia Pura, é a prática milenar onde usa-se muito de Evocações, Elevações Espirituais, uso de objetos consagrados, pentagramas, símbolos e línguas antigas ou mortas, manipulação de qualquer tipo de objetos para extrair sua força espiritual, tratados com Entidades e Espíritos.

A principal fonte de poder espiritual encontra-se em um grande círculo que contém dezenas de objetos ali depositados e o próprio corpo e mente do adepto... totalmente diferente dos Cultos de raiz afro onde são usadas representações físicas para Entidades, onde tem várias Entidades que em grupos formam a fonte de força espiritual, uso de tambor, etc...


Antigamente não existiam “nomes” e divisões sobre as práticas de Magia Tradicional, os adeptos aprendiam de tudo. À décadas atras, o mundo não era tão exigente em relação ao tempo, as coisas eram mais “devagar”, o mundo girava de outra forma, se fosse de seu interesse, seria sim possível estudar sobre uma vasta área sem se preocupar com o amanhã... Conforme o mundo foi evoluindo e exigindo cada vez mais em menos tempo e as formas de publicações e divulgações foram evoluindo, cada especialista em sua área foi adotando nomes para batizar seus fundamentos religiosos, para que assim houvessem identificações sobre qual foco visava aquela prática; Assim foram surgindo a Goethia, Luciferianismo, Satanismo, Wicca, etc... Ou seja, os adeptos começaram a receber ensinamentos voltados exclusivamente voltados para a sua vocação, para os seus planos e necessidades, surgindo as separações no campo da Magia conhecidas atualmente.


Da mesma forma foi com a Quimbanda; No início existiam a Kimbanda e a Quimbanda. A Kimbanda com “K” no início é derivada dos Cultos Afro, ensinamentos de origem estrangeira, onde se usavam Ocutás (pedras) e diversos materiais. A Quimbanda com “Qu” no início, é derivado dos Cultos de Raiz Afro praticada no Brasil, de origem nacional, onde se usam apenas imagens; Com o passar dos anos e sua evolução, alguns fundamentos de uma Quimbanda foram adotadas pela outra e “nomes” de Vertentes foram surgindo para dar identidade a cada tipo expressivo de culto; Assim surgiram várias adaptações, mutações e os nomes mais conhecidos no Brasil, tais como: Malei, Quirubo, Ganga, Luciferiana, Angola e Almas, Xambá, Mussifim, Mussurubin, Mossorobi, etc...

Então, afinal de contas, o correto é chamarmos de Quimbanda ou Kimbanda? Sinceramente, atualmente, as duas formas estão corretas se em seu Culto tem a presença da Tradição que carregam as duas formas. Dificilmente encontraremos uma Quimbanda ou Kimbanda pura, sem influências de uma na outra.

Não existe uma prática ou vertente mais forte do que a outra, todas são boas, fortes e verdadeiras! O melhor culto para você, será aquele em que você conseguirá se adaptar, seguir com as necessidades que aquele Culto tem e que você tenha afinidade com os fundamentos e práticas que o Culto carrega. Seja o mais simples ou o mais complexo, isto não é garantia de que trará mudanças expressivas em sua vida. Tudo depende da harmonia e afinidade entre o ser Humano/Culto/Entidades.